Volta às aulas: crianças e adolescentes, de fato, conhecem as medidas corretas de prevenção ao novo Coronavírus?

Lavagem adequada das mãos é uma das ações mais eficazes no combate à doença. Porém, uso de produtos específicos para assepsia também deve ser adotado

As escolas estaduais de São Paulo foram liberadas, a partir desta segunda-feira (8), para o retorno das aulas presenciais, desde que sigam os protocolos de proteção contra o novo Coronavírus. Na rede privada de ensino, o governo estadual havia liberado o retorno desde o último dia 1°. Já na rede pública da capital paulista, a prefeitura determinou a volta às aulas somente para o dia 15 de fevereiro. Cada município do estado tem autonomia para determinar quando será a volta.

No estado, existe uma guerra judicial entre o governo e o sindicato dos professores em torno da suspensão das aulas nas escolas públicas (estaduais e municipais) e particulares em cidades que estiverem nas fases vermelha e laranja do Plano São Paulo, que coordena a adoção de medidas restritivas em virtude da pandemia de Covid-19.

Imbróglios jurídicos à parte, existe um outro debate que também precisa ser feito: as escolas estão realmente preparadas para receber crianças e adolescentes, garantindo as medidas adequadas de prevenção ao novo Coronavírus? Os pequenos e jovens assimilaram corretamente os novos hábitos de higiene? Compreenderam, por exemplo, dentre outras medidas, a importância da higienização das mãos? E que o uso de produtos tóxicos e inflamáveis sem supervisão, além de prejudicar a saúde, também pode causar incidentes graves, como queimaduras e até mesmo incêndios?

Está provado cientificamente: a correta lavagem das mãos (com água e sabão, lavando punhos, palmas, dorsos e entre os dedos, esfregando unhas e pontas dos mesmos na palma) é uma das medidas mais eficazes no combate à doença. O hábito de usar produtos específicos para a assepsia também deve ser adotado. Nas salas de aula, o artigo pode ficar disponível em local de fácil acesso tanto para alunos quanto para professores.

Uma solução eficiente que promove a assepsia e garante a proteção contra microrganismos nocivos à saúde é a linha Ipoclina® Antisséptica, criada pela Vipotech, empresa referência em tecnologia sustentável para higienização. Especialmente desenvolvida para eliminar 99,9% de bactérias, vírus, germes e fungos, a solução natural é dermatologicamente testada e hipoalergênica.

“A matéria prima do nosso higienizador de mãos é o ácido hipocloroso, que é 80 vezes mais eficaz que o hipoclorito de sódio, popularmente conhecido como alvejante de cloro. É a mesma substância produzida pelos glóbulos brancos do corpo humano, para destruir microrganismos invasores”, explica Marcos Andreatta, CEO da Vipotech.

“É um composto natural na luta contra infecções. O higienizador é livre de álcool, óleos e sulfatos. Ideal para crianças e adolescentes. Também não prejudica o meio ambiente, pois é biodegradável”, garante o executivo.

Brincando se aprende – Higienização e diversão, além de rimarem, têm tudo a ver no dia a dia. Uma brincadeira para ensinar aos pequenos quanto tempo e esforço devem ser dedicados à missão de higienizar as mãos, por exemplo, é o uso de tinta guache – para remoção durante a lavagem.

A brincadeira é feita com os olhos da criança vendados, para que ela avalie se a limpeza foi eficiente. Quando achar que acabou, ela mesma deve retirar a venda e conferir o resultado. Uma lavagem adequada leva em torno de 20 segundos. O higienizador de mãos deve ser aplicado logo após a lavagem. E reutilizado, sempre que necessário, ao longo do dia.

Ipoclina® Antisséptica – Com fórmula suave e eficaz, a linha Ipoclina® Antisséptica utiliza tecnologia italiana que não deixa resíduos. Trata-se de uma poderosa solução de spray antimicrobiana, eficaz contra todos os tipos de patógenos microbianos.

A maioria dos antissépticos e desinfetantes comuns carrega produtos químicos tóxicos que ressecam a pele e costumam causar alergia ou irritações. A linha Ipoclina® é livre de álcool e atóxica. Eis o grande diferencial em relação a outros produtos do mercado. É ideal para crianças e adolescentes.

“Nossa solução é à base de ácido hipocloroso, o HOCl. Quando produzido fora do corpo, o HOCl é uma solução biocida antimicrobiana eletrolisada que oxida e elimina bactérias, vírus, esporos e fungos”, explica Marcos Andreatta.

“É eficaz e de ação rápida. A superioridade da tecnologia dos nossos produtos está nas fórmulas mundialmente patenteadas que garantem estabilidade e segurança. O ácido hipocloroso é industrializado e comercializado em diversos países, como: Estados Unidos, Itália, Inglaterra, Turquia e Japão, entre outros. A Vipotech é a primeira empresa nacional a industrializar e comercializar o ácido hipocloroso no Brasil”, finaliza o CEO.

Vipotech – A Vipotech é uma empresa brasileira que investe em pesquisas científicas para garantir os mais eficazes e seguros processos de assepsia e desinfecção, por meio da linha de produtos Ipoclina ®. Alia à mais alta tecnologia italiana para industrializar o ácido hipocloroso em sua forma mais pura e segura.

A Vipotech desenvolve produtos com alta tecnologia, sem o uso de substâncias tóxicas. A empresa estabeleceu como propósito causar um impacto positivo e duradouro na saúde e na sanitização, em todo o mundo, revolucionando as medidas de controle de infecções causadas por vírus e bactérias. Saiba mais: https://vipotech.com.br/

IMPRENSA: Higor Gonçalves: [email protected] / +55 (11) 97031.8503

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *